dez 5 2010

Uma viagem perigosa

“Senhores, vejo que a navegação há de ser incômoda, e com muito dano, não só para o navio e carga, mas também para as nossas vidas.” Atos 27.10

A vida humana é como um barco imenso navegando até certo destino. Em Atos 27, todos os que estavam no barco pretendiam chegar à Roma, a cidade mais importante e promissora, a morada do rei. Certamente que você um navegante pelos mares da vida também tem desejo de enfim aportar na cidade do Rei celestial.

O começo daquela viagem foi feliz e sem preocupação alguma, mas não foi assim a viagem interia. Esteja você na juventude, na idade adulta ou até mesmo na terceira idade, é preocupante se na sua viagem para eternidade ainda não teve pensamentos sérios quanto ao seu destino eterno.

Embarcaram naquele porto representante de todas as classes sociais: o mestre, ou dono, do barco nos lembra das pessoas ricas deste mundo; o centurião, daquelas como ótimas carreiras profissionais; os marinheiros, daqueles profissionais altamente qualificados; os soldados nos fazem lembrar aqueles que são responsáveis por manter a ordem; os presos, aqueles que vivem à margem da lei.

Por acaso, você já esta pensando sobre qual destas classes é aquela em que você se enquadra? Nesse barco, da vida rumo à eternidade, por menos que pareça, viajam juntos o doutro e o analfabeto. Todos são pecadores culpados perante Deus, e a maioria não se dá conta disso enquanto a viagem, isto é, a vida, corre bem.

Ah, mas havia ainda outras três pessoas no barco. Eram as únicas pessoas salvas num total de 276. Você não acha muito poucas? É assim que a Bíblia diz: “porque estreita é a porta…e poucos há que a encontrem” Mat. 7:14.

Atos 27 diz: “276 almas”. Não nos diz 276 pessoas, embora essa fosse a realidade, mas “almas”, fazendo-nos lembrar que cada um tem uma alma que existirá para sempre, e que precisa ser salva. “Todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele com quem temos de tratar” Heb. 4:13. Se você aceitasse essa declaração da Palavra de Deus isso já seria suficiente para que a sua viagem deixasse de ser tranquila. Alguém escreveu: “estive muito aflito” Salmo 116:10. E você: já esteve muito aflito por causa da sua alma?

Chegou, porém, o momento em que perceberam, mesmo que depois de muito tempo, que a navegação era perigosa. Não foi por acaso que eles perceberam isso, mas porque o portador da Palavra de Deus dizia: “haverá muito dano para as nossas vidas”. É a palavra de Deus que mostra o perigo para o pecador. Fazer pouco caso dela é perdição na certa.

Amigo, talvez você, tendo passado por vários estágios dessa viagem para a eternidade, vê que se encontra em perigo de perecer eternamente. Você se volta mentalmente para seus pecados passados, e teme seu futuro encontro com Deus, que é certo, embora muitos não acreditem que seja.

Quando o portador da Palavra de Deus deu a sua mensagem, houve quem cresse “mais no mestre do navio do que Paulo dizia”. Ainda hoje é assim: temos a palavra de Deus, mas a maioria prefere acreditar nos vários mestres religiosos que procuram acalmar a consciência daqueles que sabem que suas almas não estão bem.

Amigo, atente para a palavra de Deus e, custe o que custar, não deixe acalmarem sua consciência, a não ser com o “sangue de Jesus Cristo seu Filho [que] nos purifica de todo o pecado” I Jo. 1:7.

Talvez lhe venha alguma sensação boa ao seguir os conselhos dos mestres religiosos, que aconselham boas obras, jejuns, pensamentos positivos e outras coisas, mas será apenas até que você se encontre frente à frente com a morte, quando será despertado tarde demais.

Na viagem à Roma, eles sentiram soprar o vento sul brandamente. Quantos hoje acham a mensagem do Evangelho dura, e vão procurar um lugar com nome evangélico onde ouvem palavras de brandura. Aqueles que confiaram na brandura do vento logo depois foram surpreendidos por um “pé de vento” em alto mar, que lhes causou um dano irreparável. Não procure palavras brandas, mas aceite a Palavra de Deus assim como ela é.

Seguindo o que é brando você corre risco, não apenas de ser despertado quando já for tarde demais, como também de ser levado para onde não quer – o inferno. É isto que é sugerido onde diz que o barco ia “à toa”. Ia sendo levado para onde eles não queriam. Além disso,  “andavam agitados”; isto nos lembra da agitação e do tormento eterno dos perdidos. No inferno não acontece o fim do ser humano, mas um estado de plena consciência, a qual agitar-se-á até mesmo em revolta contra Deus naquele lugar de tormento. Atente agora para o que a Bíblia diz: “crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo” Ats. 16:31, e livre-se para sempre dessa triste perspectiva.

Há salvação para você,  se você se interessar, procurar e não descansar até tiver a certeza dela. Essa certeza existe. Foi Deus quem disse: “não se perderá”. Você não pode confiar que Ele fala serio?

Mas, se você continuar na sua vida de pecado, e continuar confiando em obras e cerimônias, não irá alcança-la. O Senhor Jesus disse: “o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora” Jo. 6:37. É com o seu pensamento e com o seu coração que você vai a Ele. Não demore mais, prezado leitor.

Por Carlos Adeni da Silva (Palavras de Edificação nº 99)

Deixe um Comentário