fev 22 2011

O bom samaritano (2)

Se você ainda não leu a primeira parte desta mensagem, clique aqui.

Ele (doutor da lei), porém, querendo justificar-se a si mesmo, disse a Jesus: E quem é o meu próximo?” (Lucas 10:29)

Como foi afirmado na primeira parte, aquele doutor da lei acreditava plenamente que herdaria a vida eterna por se achar cumpridor da lei de Deus. Mas o Senhor Jesus toma tempo com aquele homem, respondendo às suas duas perguntas, fazendo-o refletir sobre sua real situação diante dAquele que conhecia perfeitamente seu coração.

Em relação aos mandamentos da Lei de Deus, ao mesmo tempo que a Bíblia diz que “o homem que fizer essas coisas por elas viverá” também afirma: “é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé” (Gálatas 3:11,12). Deus deu a lei, a qual é santa, justa e boa (Romanos 7:12), não para salvar o homem, mas para revelar a maldade do seu coração! NINGUÉM CUMPRE OS MANDAMENTOS DE DEUS! Preste bastante atenção nos seguintes versículos:

“Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las.” (Gálatas 3:10)

“Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos.” (Tiago 2:10)

A lei de Deus pode ser comparada a um espelho, diante do qual todos os homens têm a oportunidade de se ver com os olhos de Deus. Entretanto, em vez do homem caído reconhecer sua culpa perante a santidade de Deus, revelada na Sua Lei, procura se justificar, como fez esse doutor da lei. Mesmo assim, com toda a paciência, o Senhor Jesus lhe conta uma parábola.

Na parábola, o homem que descia de Jerusalém para Jericó”, o qual foi roubado e espancado, ficando quase que morto, representa todos nós pecadores. Jerusalém representa a presença de Deus, pois foi lá que Deus mandou que fosse construído, no tempo da Velha Aliança, um Templo para que ali o Seu nome fosse adorado. E Jericó representa o lugar de maldição (Josué 6:26). Assim, o homem desceu da presença de Deus para um lugar de maldição! De fato isso aconteceu no Jardim do Éden, quando o pecado entrou no mundo. Antes do pecado, o homem desfrutava de gozo e comunhão perfeita com Deus, mas com o pecado o homem morreu para Deus.

“O salário do pecado é a morte” (Romanos 6:23)

Tanto o levita quanto o sacerdote “passaram de largo” ao verem o moribundo pelo caminho. O interessante foi que, de igual modo, estes dois também estavam DESCENDO de Jerusalém para Jericó! Não era de se estranhar que, descendo para um lugar de maldição, tivessem eles qualquer condição para socorrer aquele homem. Este levita e o sacerdote representam a religiosidade que impera neste mundo. A religião, com todo a sua história, todo o seu aparato e casca de espiritualidade, jamais pode satisfazer as necessidades da alma perdida. Os doutores da lei, muitos dos judeus, e milhares de pessoas hoje em dia, estão confiando na Lei para herdarem a vida eterna, crendo que podem cumpri-la. O levita e o sacerdote foram incapazes de socorrer o homem caído pelo caminho, assim também o ser humano desconhece o que significa misericórdia!

Eis que um samaritano entra em cena. Diferente dos três primeiros personagens, os quais desciam de Jerusalém para Jericó, este samaritano “ia de viagem”! Este foi o único capaz de se aproximar do homem necessitado, socorrê-lo e tratar de toda a sua recuperação. Vale notar que os judeus não se comunicavam com os samaritanos. A presença de um samaritano para um judeu era ofensiva. Quanto mais ser tocado e cuidado por ele! JAMAIS! Mas independente de sua origem, costumes, cor ou raça, aquele samaritano foi o único capaz de socorrer aquele que estava à beira da morte.

Jesus Cristo é quem está sendo representado por este samaritano! Apesar de ser um judeu, segundo a carne, foi igualmente rejeitado pelos da Sua nação. “Veio para o que era Seu, mas os Seus não o receberam” (João 1:12). Sua rejeição era similar à rejeição que os judeus tinham pelos samaritanos. Todavia Ele teve compaixão de cada um de nós, miseráveis e perdidos pecadores. Por isso Ele veio ao mundo, passando aqui como um viajante, impulsionado pelo amor, a fim de nos livrar da perdição e ruína eterna.

Como é que aquele homem caído se encontrava? Roubado, espancado e quase à morte! Ele não tinha nenhuma condição de se levantar. Ele precisava ser levantado! Ele não tinha nenhuma condição de ver, ouvir ou falar. É exatamente esta a sua condição como pecador diante de Deus. É necessário que o Bom Samaritano lhe salve da morte. A Lei, a religião, as “boas” obras, as rezas, orações, penitências, o batismo e nem tudo isso junto jamais limpará as chagas do teu pecado. Jesus Cristo é o Único que pode lhe salvar!

“Porque Deus amou ao mundo de tal maneira, que deu o Seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nEle crê, não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16)

Por mais que você se veja como um levita ou um sacerdote, honrado e louvado pelos homens como alguém diferenciado, “bondoso” e cheio de qualidades ou virtudes, Deus está lhe dizendo que você é pecador, pobre, miserável, cego e nu aos Seus olhos. Você é carente da glória e presença de Deus! (Romanos 3:23). Por isso, reconheça que é um pecador perdido e confie no Senhor Jesus como teu Único e Suficiente Salvador. É desta maneira que o Bom Samaritano poderá lhe socorrer e mudar o destino da tua alma.

Crendo em Cristo já, pleno perdão você receberá e um futuro de gozo na presença de Deus o aguardará.

Um Comentário em “O bom samaritano (2)”

  • O bom samaritano (I) | Fiel Palavra Escreveu:

    […] O bom samaritano (II) | Fiel Palavra Escreveu: 22 de fevereiro de 2011 às 11:18 AM […] O bom samaritano (2) Por Leonardo  publicado em Evangelísticas Olá! Se você é novo aqui, talvez queira assinar nosso RSS feed para saber sobre novas mensagens. Tem um minuto? Então responda ao nosso questionário. Que Deus seja glorificado pela Sua Fiel Palavra!Powered by WP Greet Box WordPress PluginSe você ainda não leu a primeira parte desta mensagem, clique aqui. […] Responder […]

Deixe um Comentário