abr 8 2011

Doentes e imundos

“Toda a cabeça está enferma e todo o coração fraco. Desde a planta do pé até a cabeça não há nele coisa sã, senão feridas, e inchaços, e chagas podres não espremidas, nem ligadas, nem amolecidas com óleo” (Isaías 1:5,6)

“Todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia” (Isaías 64:6)

Se pudéssemos ver exatamente como Deus nos vê, em Sua santidade e pureza, ficaríamos enojados de nós mesmos. Deus afirma em Sua Palavra que toda o ser humano está doente, dos pés a cabeça. E essa doença é comparada a feridas abertas, inflamadas e não tratadas. Todos nós, sem exceção, somos extremamente desagradáveis a Deus! Não há em nós nenhum bem, nada bom, nada sadio aos olhos do Senhor Deus.

Deus também afirma que todos nós somos como o imundo. O povo de Israel, a quem estas palavras foram primeiramente dirigidas, conheciam muito bem o que significava essa palavra: imundo. A lei de Deus, dada por mão de Moisés, definia bem claramente que Deus não toleraria a profanação ou a imundícia no meio Seu santo povo. Por um motivo muito simples: Deus é santo e puro! Visto que a imundícia deveria ser extirpada do meio de Israel, os israelitas precisavam conhecer bem o que ou quem era considerado imundo por Deus.

Um exemplo de imundícia no Velho Testamento era a lepra. Aquele que contraísse a lepra seria declarado imundo (Levítico 13:8). E as roupas utilizados pelos leprosos era como trapo da imundícia, pois cobriam as chagas podres causadas por aquela terrível doença. Somente depois de serem purificados de sua lepra é que os leprosos curados poderiam ser reintegrados à comunhão com Deus e Seu povo.

Podemos compreender bem agora o que Isaías, inspirado (literalmente ‘soprado’) pelo Espírito Santo, fala sobre todos nós. Ao afirmar que o homem é doente e imundo, Deus não está se dirigindo somente ao seu vizinho, ou àqueles que você odeia, aos contraventores ou criminosos. NÃO! Deus está se dirigindo a você. Deus está se dirigindo a mim. Deus está falando da natureza humana, caída, má e perversa. “Todos nós”, é o que está escrito.

Repetimos a primeira frase desta mensagem: se pudéssemos ver exatamente como Deus nos vê, em Sua santidade e pureza, ficaríamos enojados de nós mesmos. E o que nos torna doentes e imundos chama-se PECADO, a desgraça da humanidade, o que torna o homem totalmente carente de perdão ou purificação, da parte de Deus.

“Ai de mim! Pois estou perdido; porque sou um homem de lábios impuros, e habito no meio de um povo de impuros lábios” (Isaías 6:5)

Para quê serve um trapo da imundícia? Para quê serve coberturas ou curativos postos sobre chagas podres e inflamadas? Rapidamente respondemos: É LIXO! Pois é exatamente a isto que Deus compara as “nossas justiças”. Se você julga ser uma boa pessoa, ou julga ser praticante de boas obras ou obras de justiça, Deus as vê como trapo da imundícia. Assim como um trapo imundo não serve para nada, senão para ser jogado fora, assim também suas aparentes bondades não purificam a imundícia do seu pecado. Obras não te salvam! Seus esforços sem cessar não lhe podem transformar nem seu males expiar.

Um leproso, bem consciente do seu estado lastimável, e de sua necessidade de purificação, dirigiu-se a Jesus Cristo. Então o Salvador lhe faz uma pergunta: “Que queres que eu te faça?” Prontamente o leproso respondeu: “Senhor, que eu seja limpo”. Cristo então sela o destino daquele homem, dizendo: “Quero! Sê limpo”.

Prezado leitor, você é pecador e isto lhe torna doente e imundo para Deus. Você tem uma doença incurável: pecado! Sua vida é uma afronta à santidade de Deus. Todas as suas justiças próprias são como trapo da imundícia aos olhos de Deus.

O que você deve fazer agora?

Venha a Jesus Cristo, AGORA, arrependido do seu estado de pecado, crendo nEle como seu Único e Suficiente Salvador. O sangue que Ele derramou na cruz central do Gólgota é suficiente para te purificar de toda a injustiça. Você será salvo, sua doença será curada para todo o sempre e Deus lhe vestirá com a Sua justiça, em Cristo Jesus.

Deixe um Comentário