mar 7 2012

Um Tribunal diferente (II)

“Os olhos do Senhor estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons” (Pv 15:3)

Já vimos na primeira mensagem da série “Um Tribunal diferente” o que a Bíblia nos apresenta: Deus é o Supremo Juiz, cujo caráter é inquestionável, cuja característica de julgamento é segundo a verdade, cuja capacidade abrange o mundo. Agora, vamos considerar outros dois personagens.

Personagens envolvidos – Promotor e Testemunha

Num tribunal normal que conhecemos, o Promotor é a pessoa que trabalha pelo bem da ordem pública, defendendo os interesses em cumprimento da Lei. Já as Testemunhas são pessoas convocadas para prestar informações do que viram e/ou ouviram, visando cooperar na resolução de um caso. Usando linguagem simples, podemos afirmar que o Promotor acusa (cabendo ao Defensor Público defender), enquanto a Testemunha serve como os olhos e os ouvidos do Juiz, já que este não esteve presente para ver e ouvir o que foi feito e dito.

Quando, porém, olhamos para a Palavra de Deus, ficamos surpresos ao descobrir quem é o “Promotor” e a “Testemunha” do Tribunal que a Bíblia apresenta.

Promotor – consciência. Em Romanos 2:15, 16, diz: “Os quais mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência, quer acusando-os quer defendendo-os; no dia em que Deus há de julgar os segredos dos homens, por Jesus Cristo …”.

Todas as pessoas têm uma consciência e esta os faz lembrar e saber quando estão fazendo o bem ou o mal, o certo ou o errado, o que agrada a Deus ou o que O desagrada. Diante de um tribunal humano, uma pessoa pode ter cometido um crime, sua consciência acusá-lo disso, mas se manter quieto, como se não tivesse cometido. Ela guarda este segredo para si. No Tribunal de Deus, porém, é diferente! Naquele dia, “os segredos dos homens” serão revelados, e a própria consciência o acusará veementemente, revelando seus mais terríveis delitos.

Testemunha – Deus. Mas não pára por aí. Além da própria consciência, haverá uma Testemunha que revelará os mais escondidos feitos. Como Supremo Juiz, Deus não precisa de testemunhas externas, porquanto Ele mesmo viu e ouviu todas as coisas. Vejamos o que a Bíblia diz sobre isso.

a) Sua presença. Deus está ao mesmo tempo em todo lugar. O Salmo 139 é um aviso eloquente disso: “… Para onde fugirei da Tua face?” (v. 7). Deus está no Céu, no inferno, na alva, no mar, na escuridão, na luz (vs. 8-12). De fato “os olhos do Senhor estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons” (Pv 15:3).

b) Sua percepção. Deus não só está em todo lugar e vê tudo o que acontece, mas também conhece todas as coisas. Citando mais uma vez o Salmo 139, vemos como Deus conhece quando alguém se assenta, levanta e conhece o que pensa. Ele sabe quando alguém anda, deita e por onde vai. Além disso, antes que a palavra seja formada na língua, Ele sabe o que vai ser dito. Não é sem razão que o salmista afirma: “Tal ciência é para mim maravilhosíssima, tão alta que não a posso atingir” (vs. 1-6). Apropriadamente William M. Banks comenta: “Não há nada fora do alcance da percepção de Deus, desde o funcionamento do átomo até a perfeição do universo; desde o motivo até o movimento; desde o passado até o futuro” (“Os Atributos Inerentes de Deus”, vol. 1, pág. 11).

Diante destes personagens, quem poderá esconder algum fato? Deus sabe o que foi feito, e a consciência não permite que o segredo fique oculto. Não há apelações!

Haverá um dia, prezado amigo, quando você não poderá esconder seus segredos. O Promotor e a Testemunha não mentem e não omitem. Você terá de confessar seu pecado. Se deixar para fazer isso no dia em que Cristo julgará o mundo, será tarde demais. Se fizer isso hoje, diante de Deus, Ele pode salvar você. Confesse os seus pecados diante de Deus, crendo no Senhor Jesus, e Ele o perdoará deles!

5 Comentários em “Um Tribunal diferente (II)”

  • José H.Martins Escreveu:

    Eu José H.Martins não me envergonho do evangelho porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê,e dou graças a Deus que ele me favoreceu de maneira muito especial pois eu sou deficiente auditivo mas uso proteses auditivas nos doi ouvidos e tambem moro perto dos locais para reuniões de pregação do evangelho em Alvorada RS,e Porto Alegre,e Cachoeirinha e me reuno com os irmãos nestes locais.

  • Genésio Carvalho Escreveu:

    Caro irmão Leonardo,
    Durante alguns anos, fiz parte do Conselho de Sentença (Júri) do Fórum de Montes Claros. Suas explicações são fidedignas. Pelo jeito, esta série vai continuar, não é?, envolvendo réu, sentença, prisão, liberdade…
    Só uma perguntinha: Durante esse Grande Júri, poderíamos considerar também Satanás como acusador?
    Que O Senhor o continue usando em Sua obra!
    Um bom abraço deste seu amigo e irmão.

    • Leonardo Escreveu:

      Olá Genésio! O autor da mensagem é o Adriano Anthero, conhece? 😮 Obrigado pelo contato.

      Quanto a Satanás, sem dúvida. Ele é o acusador dos santos, e suas acusações são feitas de dia e de noite. Mas seu fim já está decretado, conforme o versículo abaixo:
      “Agora é chegada a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derrubado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite” (Apocalipse 12:10)

    • Adriano Anthero Adriano Anthero Escreveu:

      prezado Genésio,

      Sua experiencia no Juri nos ajuda muito nos nossos comentários aqui.

      Quanto a Satanás, sugiro que ele não possa fazer parte deste julgamento como acusador. Como o Leonardo explicou, ele é o “acusador dos irmãos”, mas neste “Tribunal Diferente” que estamos tentando desenvolver, não são os irmãos quem estão sendo acusados, mas sim, os não salvos.

      Satanás pode até acusar os irmãos, mas ele jamais é visto acusando-os diante do Tribunal (nem na Cruz, nem no Grande Trono Branco). E mesmo que ele pudesse comparecer diante da Cruz ou do grande Trono Branco para acusar os irmãos, ele já estaria emitindo sua própria acusação e sentença, entende? Neste sentido, Satanás é um dos acusados, não um dos acusadores.

      Espero ter ajudado. Qualquer dúvida, é só perguntar.

      Abraço deste seu irmão e amigo.

Deixe um Comentário