mar 1 2012

Um Tribunal diferente

Deus é Juiz justo” (Salmo 7:11)

Todos nós conhecemos um tribunal, seja por ter ouvido falar, seja por ter visto, seja por ter participado. Mas todas as nossas noções e impressões de um tribunal se tornam meras especulações quando somos confrontados com o Tribunal que a Palavra de Deus apresenta. Estudando cada um dos personagens envolvidos nesse Tribunal, ficamos impressionados com sua diferença em relação aos demais que conhecemos.

Para facilitar, vamos dividir nossas considerações sobre este “Tribunal diferente” em três partes maiores, pensando nos personagens envolvidos, depois no pronunciamento emitido e, por fim, na providencia estendida. No meio destas divisões, faremos outras divisões menores.

 

Personagens envolvidos – Juiz

 No Tribunal que a Bíblia apresenta, Deus é o supremo Juiz. Há muitos textos da Bíblia que mostram como Deus é Aquele que julgou o pecado. É Ele quem Se assenta “no tribunal, julgando justamente” (Sl 9:4). Mas nesta seção, vamos considerar apenas três trechos.

Seu caráter – “Deus é Juiz justo, um Deus que Se ira todos os dias” (Sl 7:11). Este versículo evidencia o caráter impecável de Deus, bem como Sua justa ira. Não há nada no Seu caráter que ponha dúvidas ao Seu julgamento. Ele é completamente reto e Santo e, por isso, não pode tolerar a injustiça e a rebeldia.

Sua característica – “E bem sabemos que o juízo de Deus é segundo a verdade sobre os que tais coisas fazem” (Rm 2:2). A verdade é a característica do julgamento de Deus. Seu caráter não permite que Se engane, e seu julgamento não permite que use de mentiras para julgar. Deus não Se deixa convencer por mentiras camufladas. A verdade se firma diante dEle!

Sua capacidade – “Ele mesmo julgará o mundo com justiça; exercerá juízo sobre povos com retidão” (Sl 9:8). Deus pode julgar a todo o Mundo! Toda a raça humana pode ser colocada diante de Deus e cada um receber o justo julgamento sem qualquer sombra de enganos.

Estes três versículos não apenas mostram que Deus é o Supremo Juiz no Tribunal que a Bíblia apresenta, mas também que não há apelos ou o quê revogar em Seu julgamento. A Bíblia diz que aquele que não crê no Senhor Jesus, Seu Filho, já está condenado (Jo 3:18). Este julgamento é fiel e irrevogável. Sem o Filho de Deus, você está perdido. Com o Filho de Deus, você está salvo.

Lembre-se, caro amigo, está é uma verdade dita pelo Justo Juiz: “Quem crê no Filho não é condenado …”

2 Comentários em “Um Tribunal diferente”

  • Luiz Roberto Chagas Escreveu:

    Olá Prezado irmãos Leonardo e Adriano.

    Achei de suma importancia o assunto apresentado.

    No dia a dia, em trabalho, passei a conhecer bem de perto a realidade de um Tribunal Humano,a Justiça do Trabalho, onde hà um magistrado(a)responsável em julgar a causa.

    Diante do seu comentário, gostaria de destacar a grande diferença dos Tribunais, isto é o do SENHOR e o do mundo.

    O irmão cita o (CARÁTER). Juiz Justo, qual a diferença desse juiz para o outro?. É que o Senhor é DEUS e como Deus não comete injustiças, enquanto o juiz do tribunal humano, por ser homem comete falhas ainda qua não sejam de má fé.

    O irmão cita (CARACTERÍSTICA). O julgamento de Deus é segundo a verdade, não permite engano e não aceita mentiras, enquanto nos tribunais humanos o que muitas vezes vemos é o oposto pessoas que mentem para confundir os Juizes, por não conhecerem a realidade dos fatos, mas nada hà encoberto aos olhos dAquele que irá julgar todas as coisas o SENHOR.

    O irmão cita (CAPACIDADE),julgará o mundo com justiça, retidão, a diferença é que o Juiz humano julga apenas aquele caso, isto é, não pode julgar outras causas, enquanto o JUSTO JUIZ, julgará tudo e todos, isto é, o mundo e as pessoas, mas o seu julgamento será com JUSTIÇA E VERDADE.

    Enfim a grande diferença do Tribunal Humano do de Cristo, é que o Juiz como homem comete erros e falhas, e as vezes seu julgamento não é correto e parcial, enquanto no Trinual de Cristo, o SENHOR como (JUIZ), julgará tudo sem haver alguém que questione o seu julgamento.

    Abraços de seu irmão em Cristo.

    Luiz

  • Adriano Anthero Adriano Escreveu:

    Prezado irmão Luiz,

    Peço desculpas pela demora em responder ao seu comentário.

    Concordo plenamente com o seu comentário. Não podemos duvidar do desejo sincero e da atitude honesta de muitos juízes que julgam a causa dos homens. Mas notamos que, embora seu desejo seja sincero, e seu julgamento seja honesto, eles estão sujeitos a falhas, por suas limitações.

    Quando, porém, olhamos para o Juiz de toda a terra, ficamos maravilhados diante da precisão de seu veredicto. Como é impressionante e justo Seu julgamento.

    Por outro lado, porém,, como é impressionante a Sua graça. Ele nunca deixa de punir o condenado, ams também nunca deixou de lhe oferecer um mio pelo qual possa, ser livre. Embora pareçam verdades extremamente oposto, o Senhor é o único Juiz que pode ser, ao mesmo tempo “Justo e Justificador, daquele que tem fé em Jesus” (Rm 3:26).

    Abraços!

Deixe um Comentário