abr 12 2012

Fundamento

“Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha” (Mateus 7:24)

“Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo” (I Coríntios 3:11)

“… e a pedra era Cristo” (I Coríntios 10:4)

Em uma propaganda recente, de uma seguradora, o slogam era “As pessoas seguras são mais felizes”. Baseada nesta afirmação, uma mesma pergunta foi feita a algumas pessoas: “O que significa para você ser uma pessoa segura?”. As respostas variavam, tais como: “Uma pessoa segura tem tranquilidade” ou “Sendo uma pessoa segura, estou pronta para o que der e vier”. E cada uma das respostas confirmavam o slogam, afinal, segurança traz consigo descanso e felicidade. Você concorda com isto?

Pense em uma criança… é notável sua fragilidade e dependência. Ao ver uma pessoa estranha, logo corre para as pernas da mãe ou pula no colo do pai. Ao dormir, pode ela até chorar pela companhia dos seus pais. Nesta e em outras situações aprendemos que o ser humano naturalmente procura um refúgio, uma proteção, uma segurança, não somente para ele, como também para aqueles que ama.

Ninguém em são juízo deseja colocar sua vida em risco. À medida que o risco aumenta, a sensação de segurança diminui e o fundamento é questionado. Você passa então a correr atrás de proteção, esforçando-se por ter um mínimo razoável de segurança. Há quem não deseja desfrutar de verdadeiro descanso e felicidade? Tudo (ou quase tudo) que você faz tem ou não tem esta motivação? Afinal, mesmo que você não saiba explicar, faz parte da sua natureza buscar proteção, refúgio e segurança. E é também baseado nisto que, cada um de nós, desde tenra idade, começamos a lançar os fundamentos da nossa existência neste mundo. Todos nós temos algum fundamento!

A eternidade está no coração da criança. Sua vida normalmente é uma alegre e saudável brincadeira! Todavia, é natural que alguém mais velho tenha a responsabilidade de lhe incutir algum tipo fundamento, o qual a acompanhará durante a sua vida. Os jovens se enganam por acharem que seu fundamento de vida está pronto e firmado. Mal deixaram a infância e começam a pensar que agora podem viver da sua própria maneira. Espera-se que a cautela e maturidade esteja no coração dos adultos. É possível que estes pensem que seu fundamento corresponde à sua experiência de vida. Por este motivo, podem começar eles a planejar um “bom final” para a sua vida. E quanto aos idosos? Parece que seu fundamento ficou no passado, sendo transmitido através de conversas e canções.

Mas e quando a morte bate à porta?

É inegável que a morte alcança a todos, sejam crianças, jovens, adultos ou idosos. A morte para as crianças não passa de um conjunto de letras na boca dos adultos. O vigor físico dos jovens normalmente lhe cega os olhos para sequer pensarem na inegável iminência da morte. Os adultos estão ocupados demais na execução de seus planos terrenos a ponto de lhes soar como precoce falar da morte, considerada pela maioria como o fim de tudo. Os idosos são aqueles que possuem maior chance de pensarem na morte, visto que normalmente aceita que ela lhe está mais próxima.

Contudo você não é mais uma criança, certo? Agora você tem entendimento, e já possui uma idade suficiente para compreender. Assim, faça o contrário do que até hoje tem feito. Procure “cavar” a sua vida a fim de descobrir em quê ou em quem ela está baseada. O que você encontra? Qual o seu fundamento? Tal fundamento é seguro?

É fato que nem mesmo todo o dinheiro do mundo resolve a carência natural do ser humano por um fundamento sólido e seguro. Os que se ensoberbecem com suas riquezas, deles está escrito: “Não há apertos na sua morte, mas firme está a sua força.  Não se acham em trabalhos como outros homens, nem são afligidos como outros homens” (Salmo 73:5,6). Em verdade disse o Senhor Jesus Cristo: “a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui” (Lucas 12:15). Mas todos os fundamentos humanos vacilam quando a morte lhe bate à porta. Ainda escrito está sobre estes: “Como caem na desolação, quase num momento! Ficam totalmente consumidos de terrores” (Salmo 73:19).

Um fundamento sólido e seguro é aquele que lhe garante, não propriamente uma vida terrena tranquila, sem maiores riscos, mas é aquele que lhe assegura uma eternidade na presença de Deus. Não estamos tratando de poucos ou muitos anos de vida neste mundo, mas da eternidade da tua alma! Assim, se você tem dúvidas ou não sabe onde passará a eternidade, segue-se que o fundamento da sua vida é inútil, e uma grande e terrível ruína o espera.

No primeiro versículo citado no início desta mensagem, em um contexto de falsidade e engano religioso, no qual muitos vivem, o Senhor Jesus ensina que uma vida que ouve e pratica as Suas palavras é comparado a um homem sábio que edificou sua casa sobre a rocha. Ao contrário deste, os que ouvem mas não praticam as palavras do Senhor Jesus, são comparados a um homem louco que edificou sua casa sobre a areia. E no tempo da calamidade, a casa edificada sobre a rocha permanecerá, mas aquela edificada sobre a areia será derrubada.

Visto isso, devemos repetir a mesma pergunta: qual o seu fundamento? Você é um sábio ou louco? O destino da tua alma será uma ruína total e completa, em tormento eterno, ou estará ela segura e firma na presença de Deus, em gozo eterno? O tempo da calamidade que há de combater sobre toda a casa já está declaradamente anunciado:

“Quem crê no Filho tem a vida eterna (casa sobre a Rocha); quem porém não crê no Filho, não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece (casa sobre a areia)” (João 3:36)

Ouvir e praticar as palavras do Senhor Jesus é obedecer ao Evangelho da salvação. Não terão um fim bom os que são desobedientes ao Evangelho (Leia II Tessalonicenses 1:8 / I Pedro 4:17). Todavia “Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam” (Atos 17:30) O Evangelho da salvação é uma boa notícia, novas de grande alegria, que são para todos os homens. O Evangelho manifesta que o pecador precisa se arrepender do seu pecado e confiar no sacrifício expiador, consumado na cruz central do Calvário, pelo Salvador do mundo, Jesus Cristo. Ele morreu no teu lugar! Somente obedecendo ao Evangelho você será comparado a um sábio, o qual edificou a Sua casa sobre a Rocha, a Rocha da salvação: Jesus Cristo.

O fundamento designado por Deus para assegurar a salvação de nossas almas é o Senhor e Salvador Jesus Cristo, o Filho de Deus. Ninguém pode colocar outro fundamento, além do que já está posto (I Coríntios 3:11). Se você foi salvo pela graça, mediante a fé no Senhor Jesus Cristo, estás seguro eternamente, pois a Rocha na qual sua vida está fundada é inabalável. A garantia da salvação está no Fundamento, não em nós mesmos. Do contrário, se você ainda não é salvo, seu fundamento é como areia, e a eternidade da sua alma está em constante perigo de morte eterna.

Não seja louco! Obedeça ao Evangelho: reconheça que é um pecador perdido, arrependa-se e creia no Senhor Jesus como Único e Suficiente Salvador. Vida, segurança, gozo e descanso eterno você desfrutará eternamente.

Deixe um Comentário