jan 8 2015

Marco Polo

Marco Polo“Os olhos do SENHOR estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons” (Provérbios 15:3)

Marco Polo não é um nome fictício. Ele realmente existiu. Em 1271, mais de duzentos anos antes de Colombo descobrir América, três homens fizeram uma viagem longa. Eram Marco Polo, seu Pai Niccolo, e seu tio, Maffeo. Partiram da Veneza, na Itália e viajaram por grande parte do mundo. Foram para o Irã, para o Afeganistão e para a Mongólia, perto da China. Viajaram 12.000 km.

Marco Polo tomou nota de tudo que via. Escreveu sobre petróleo que vinha do chão que poderia servir de combustível. Viu árvores com “nozes” do tamanho da cabeça dum homem. Viu riqueza e luxúria tal qual ninguém na Europa tinha visto. Em 1295 os Polos chegaram em casa com jóias e riquezas que ajuntaram nas viagens. Em 1298, Marco Polo foi convencido a escrever sobre as viagens. O título do livro era “A Descrição do mundo”. Relatou muito sobre uma parte do mundo que ninguém na Europa tinha visto.

Mas o que aconteceu? O povo riu dele. Acusaram-no de mentir e exagerar. Eles nunca tinha visto o que ele descreveu, e assim acharam impossível existirem tais coisas. Seu livro foi traduzido em outras línguas. Cada cópia tinha de ser escrita a mão. Mas os leitores o ridicularizaram.

Quando em 1324 ele estava morrendo, seus amigos se reuniram em volta do seu leito numa tentativa de convencê-lo a admitir as “mentiras” para poder morrer com a consciência limpa. Mas o futuro provou que ele estava certo, e eles errados.

O povo julgou errado. Analisaram as declarações de Marco conforme o que acharam que sabiam. A realidade era que o Marco sabia muito mais do que eles.

O melhor juiz é aquele que sabe todos os fatos e pode ver tudo. Por esta razão somente Deus tem o direito absoluto de julgar, porque Ele vê tudo e sabe tudo. Ele “tem determinado um dia em que há de julgar o mundo, por meio do varão que destinou … ” (Atos 17:31). Ele anotou todos os nossos pecados e julgará cada um “segundo as suas obras” (Apoc. 20:13).

Deus, o justo Juiz, é também nosso Salvador. A Bíblia diz “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16). Não esqueça, “Está ordenado aos homens morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo” (Hebreus 9:27).

Você está preparado? Estará salvo daquele dia de juízo?

Fonte: http://www.palavrasdoevangelho.com

Deixe um Comentário