out 18 2011

Tipos Inúteis de Fé

“Agora se manifestou … a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem; porque não há diferença. Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus” (Romanos 3:21-24)

Existem muitos homens e mulheres batizados que praticamente nada sabem sobre Cristo. A fé deles consiste em algumas noções vagas e expressões vazias. “Mas eles crêem, não são piores que outros; eles se mantêm na igreja, tentam fazer suas obrigações; não prejudicam a ninguém; esperam que Deus seja misericordioso para com eles! Eles confiam que o Poderoso perdoará seus pecados e os levará para o céu quando morrerem”. Isto é quase a totalidade da sua fé.

Existem dois meios pelos quais um homem pode perder sua alma. Quais são eles? Continue lendo


set 14 2011

Desagradáveis

“Os que estão na carne não podem agradar a Deus” (Romanos 8:8)

“Sem fé é impossível agradar-lhe” (Hebreus 11:6)

Agradar é o mesmo que trazer contentamento, prazer ou satisfação. Normalmente, desde muito pequeno, cada um é ensinado a ser agradável aos seus pais, irmãos, parentes e a todos os que os cercam. E quanto àqueles que foram ensinados a serem agradáveis a Deus por meio de boas ações ou uma vida religiosa? Cada um se esforça, à sua própria maneira, para ser agradável e aceito por Deus. O pensamento é: “Deus está vendo meu esforço, minha dedicação, meu empenho em lhe ser agradável. E no final de tudo me receberá no céu”. Mas será assim mesmo?

O ser-humano foi criado para agradar o Seu Criador. Passados seis dias da criação dos céus, da Terra, do mar e de tudo quanto neles há, Deus criou o homem e ficou muito satisfeito, a ponto de dizer: “muito bom” (Gênesis 1:31). Deus tinha prazer em se relacionar com o homem… mas o pecado estragou tudo. Continue lendo


ago 20 2011

Independência E morte

“Porque Ele (Deus) livrará ao necessitado quando clamar, como também ao aflito e ao que não tem quem o ajude. Compadecer-se-á do pobre e do aflito, e salvará as almas dos necessitados.” (Salmo 72:12,13)

A célebre frase “INDEPENDÊNCIA OU MORTE”, conhecida como o “Grito da Independência”, pronunciada por D. Pedro I e ensinada anualmente nas escolas infantis, não condiz com a verdade em sua essência. Aquele grito, o qual maquiou a real intenção de Portugal, foi uma espécie de “grito eleitoreiro”, pois de forma alguma o Brasil ficou realmente livre da coroa  portuguesa. Mas também é verdade que aquela frase, guiada por D. Pedro I, também foi o clamor do povo! É a mais pura verdade que aquele grito expressa o que está no coração da humanidade.
Continue lendo


ago 14 2011

O lugar de maldição

“Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: maldito todo aquele que for pendurado no madeiro” (Gálatas 3:13)

O Velho Testamento contém inúmeras profecias acerca do Messias, Jesus Cristo: Seu nascimento, Sua vida, Sua morte, Sua ressurreição e o Seu reino. São incontáveis os versículos no Novo Testamento que fazem referência à alguma Escritura do Velho, através da expressão: “Está escrito”. O próprio Senhor Jesus citou as Escrituras enquanto esteve neste mundo, na ocasião em que foi tentado pelo diabo (Mateus 4:7). Isso nos fala da perfeição e da infalibilidade das Sagradas Escrituras. A Bíblia é a Palavra de Deus. Deus promete e Deus cumpre. Deus é Fiel!

Deus prometeu enviar um Salvador ao mundo, a fim de tomar sobre Si os pecados da humanidade. A maldição, decorrente da desobediência à Lei de Deus, tem recaído sobre o homem desde a sua criação, no Éden. A expressão “maldição da lei” não significa, de modo nenhum, que a Lei é maldita (leia Romanos 7:7)! A Lei apenas atesta a desobediência do homem, o qual não pode cumpri-la. Assim, a Lei (santa, boa e justa) revela que o homem está debaixo da maldição por ser transgressor. Continue lendo


ago 5 2011

Tornando-se um filho de Deus

“Vós tendes por pai ao diabo e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele foi homicida desde o princípio e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira” (Jo 8:44)

O início da citação deste versículo no Evangelho de João era para assustar a qualquer um. Digo “era” porque há pessoas no mundo que brincam, dão gargalhadas e zombam daqueles que lhes dizem esta palavra; palavra esta, dita pelo Senhor Jesus Cristo. Vale a pena transcrevermos o versículo por completo:

O amigo pode verificar a passagem e notará que o Senhor Jesus Cristo disse isto aos judeus; judeus que diziam ser filhos de Abraão. Podemos tomar ensino aqui para nós: não importa se a pessoa tem uma determinada religião (religião não livra ninguém da condenação eterna) e não importa se tem algum conhecido, parente ou familiar salvo; pois todos nascemos com uma natureza pecaminosa e sendo assim pecamos contra Deus; e digo mais: todos pecamos e este é o nosso desejo natural (de pecar contra Deus). Mas, por que este é o nosso desejo? Continue lendo


jul 28 2011

Venha a mim e beba

“No último dia, o grande dia da festa, levantou-se Jesus e exclamou: Se alguém tem sede, venha a Mim e beba” (João 7:37)

A paciência tem o seu perfeito trabalho no Senhor Jesus, e até o último dia da festa Ele falou aos judeus, assim como nos fala e espera ser gracioso para connosco. É verdadeiramente admirável a longanimidade do Salvador em suportar alguns de nós ano após ano, apesar das nossas provocações, rebeliões e resistência ao Seu Espírito Santo. Maravilha das maravilhas é estarmos na terra da misericórdia!

A provisão é feita abundantemente; tudo é providenciado para que o homem possa mitigar a sede da sua alma. Para a sua consciência, a expiação traz paz; para a sua compreensão, o exemplo traz a mais rica instrução; para o seu coração, a pessoa de Jesus é o mais nobre objecto de afeição; para todo o homem, a verdade como é encontrada em Jesus provê a nutrição mais pura. A sede é terrível, mas Jesus pode removê-la. Embora a alma esteja totalmente faminta, Jesus pode restaurá-la. Continue lendo


jun 24 2011

Obediência ao Evangelho

“Qual será o fim daqueles que são desobedientes ao evangelho de Deus?” (I Ped.4:17)

Conforme se pôde ler na mensagem anterior, o Evangelho de Jesus Cristo é uma alegre notícia ao coração aflito e oprimido pelo pecado. Aos que têm sede de salvação, abundantes e refrigerantes águas lhes são oferecidas pelo Salvador (Jo.7:37,38). Aos que estão cansados e sobrecarregados, pelo reconhecimento do pecado, descanso e alívio lhes são prometidos pelo Senhor Jesus (Mt.11:28-30). Deus quer todos se salvem (I Tm.2:4)! E àqueles que O invocam, em verdade, arrependidos e crentes em Jesus Cristo como Salvador, Deus salva imediatamente.

“Oh dia alegre em que Jesus minha alma para Si chamou. E me fez vez, na Sua cruz, o preço que por mim pagou. Sou feliz, mui feliz, porque Jesus me perdoou”

Mas nem todos dão crédito ao Evangelho! Continue lendo


jun 13 2011

O Evangelho

“Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; ” (Romanos 1:16)

A ousadia na pregação do Evangelho era uma característica dos primeiros discípulos de Jesus Cristo. Anunciando uma mensagem considerada revolucionária, pois era dirigida contrária aos corações, os primeiros cristãos estavam dispostos a morrer pelo nome do seu Salvador. Suas vidas se resumiam em viver para Cristo e levar almas aos pés da cruz. A causa lhes era sublime demais (e ainda o é)! Trata-se de Deus que se fez homem com o firme propósito morrer no lugar de inimigos: você e eu.

EVANGELHO

Evangelho é uma palavra transliterada da palavra grega “evangelion”. Esta palavra significa “boas-novas” ou “boas notícias”. Quando o Senhor Jesus veio em carne, nascido de uma virgem, em conformidade com as Escrituras (Isa.7:14), o anjo do Senhor proclamou aos pastores: “Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lc.2:10,11). O Evangelho são novas de grande alegria. É a boa notícia de Deus ao mundo! Continue lendo


maio 12 2011

O estado de tormento

“E no inferno, ergueu os olhos, estando em tormentos” (Lucas 16:23)

É muito comum ouvirmos sobre um “lugar melhor” esperando por aqueles que partem desta vida. Qualquer pessoa consciente da existência e eternidade da alma, em são juízo, deseja gozar de paz e alegria depois da morte. Contudo a vasta maioria ignora ou rejeita a clara e incontestável verdade bíblica sobre a existência do inferno, um estado de tormento, além-túmulo, criado e preparado para Satanás, seus demônios e para todos aqueles que deixam este mundo sem a salvação de Deus.

O versículo citado no início desta mensagem está inserido no contexto de uma história contada pelo Senhor Jesus Cristo, comumente conhecida como a “parábola do rico e lázaro”. Mas esta história não é totalmente uma alegoria! Digamos que se trata de um fato verídico de personagens e características ilustrativas. Há uma clara indicação de que o Senhor Jesus desejou alertar os judeus, descententes de Abraão, para a realidade do inferno. Os “ricos” na Bíblia normalmente representam aqueles que confiam em si mesmos (leia Apocalipse 3:17) e não reconhecem sua miséria espiritual e sua necessidade de Deus. E está claro que o Senhor Jesus não somente queria alertar os judeus descrentes, mas a você também, o qual precisa igualmente se preocupar com a eternidade da sua alma. Continue lendo


maio 2 2011

Um clamor da masmorra

“Invoquei o teu nome, SENHOR, desde a mais profunda masmorra. Ouviste a minha voz; não escondas o teu ouvido ao meu suspiro, ao meu clamor. Tu te aproximaste no dia em que te invoquei; disseste: Não temas.” (Lam.3:55-57)

Estas foram as palavras proferidas por Jeremias, um homem a quem Deus chamou para ser profeta em Israel. E como aconteceu com todos aqueles que falavam as palavras de Deus ao povo, normalmente duras palavras de juízo, Jeremias também foi perseguido, maltradado, preso e morto. Mas apesar ter visto a aflição (Lam. 3:1), e ter experimentado os horrores de uma masmorra, estando acorrentado, Jeremias invocou o nome do Senhor.

Gostaria, contudo, de considerar estas palavras de Jeremias como que partindo de uma alma angustiada e oprimida por causa do pecado. O pecado escraviza, aprisiona e leva a morte! Mas os ouvidos do Senhor estão sempre prontos para ouvir o clamor de todo e qualquer pecador arrependido. Continue lendo