ago 7 2015

Simeão

Simeão“Agora, Senhor, despedes em paz o teu servo, Segundo a tua palavra; pois já os meus olhos viram a tua salvação, a qual tu preparaste perante a face de todos os povos; Luz para iluminar as nações, e para glória de teu povo Israel” (Lucas 2:29-32)

Após o nascimento de Jesus, José e Maria foram apresentar o menino ao Senhor, no templo em Jerusalém, a fim de procederem conforme a lei de Deus, ainda vigente para a Isarel. Foi naquela ocasião em que o Espírito Santo conduziu Simeão para o templo para que visse o menino.

Quanta paz e alegria teve o velho Simeão ao ver aquele bebê e tomá-lo em seus braços! Deus lhe havia prometido que ele não morreria sem antes ver o cumprimento da promessa feita a todo o Israel: a vinda do Messias, o Cristo do Senhor. Então Simeão louva a Deus e se despede em paz. Continue lendo

-->

fev 22 2011

O bom samaritano (2)

Se você ainda não leu a primeira parte desta mensagem, clique aqui.

Ele (doutor da lei), porém, querendo justificar-se a si mesmo, disse a Jesus: E quem é o meu próximo?” (Lucas 10:29)

Como foi afirmado na primeira parte, aquele doutor da lei acreditava plenamente que herdaria a vida eterna por se achar cumpridor da lei de Deus. Mas o Senhor Jesus toma tempo com aquele homem, respondendo às suas duas perguntas, fazendo-o refletir sobre sua real situação diante dAquele que conhecia perfeitamente seu coração.

Em relação aos mandamentos da Lei de Deus, ao mesmo tempo que a Bíblia diz que “o homem que fizer essas coisas por elas viverá” também afirma: “é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé” (Gálatas 3:11,12). Deus deu a lei, a qual é santa, justa e boa (Romanos 7:12), não para salvar o homem, mas para revelar a maldade do seu coração! NINGUÉM CUMPRE OS MANDAMENTOS DE DEUS! Continue lendo

-->

fev 14 2011

O bom samaritano (1)

Para melhor compreensão desta mensagem, leia antes Lucas 10:25-37.

Esta parábola foi proferida pelo Senhor Jesus a um doutor da lei. Pelas perguntas deste homem (vs.25 e 29), notamos que ele não estava interessado em conhecer a verdade, mas tão-somente experimentar o Mestre.

A primeira pergunta foi: Mestre, que farei para herdar a vida eterna?

Porque será que ele, um mestre em Israel, um doutor da lei, dirije-se a Cristo chamando-o de Mestre e lhe faz uma pergunta tal como esta? Será mesmo que reconhecia que Cristo era Mestre? Será mesmo que ele estava com dúvida quanto a sua eternidade? Por certo que não. Entretanto ele não estava enxergando que, diante dele, estava Um que conhecia seu coração e que todas as suas intenções não estavam ocultas.

Conhecendo a sua real necessidade, o Senhor Jesus lhe pergunta o que estava escrito na lei, o que foi prontamente respondido. Os dois grandes mandamentos, os quais resumem toda a lei de Deus, revelam ao mundo a exigência da santidade e pureza do Criador. Só que, não somente o doutor da lei acreditava, mas também a maioria da humanidade acredita, que é possível cumprir a lei de Deus (Gálatas 2:10,11). Se realmente fosse possível ao homem cumprir toda a lei de Deus, sem faltar em um só ponto (Tiago 2:10), ele herdaria a vida eterna (Gálatas 3:12). Mas isto é impossível, pois a lei não foi dada para salvar o homem, antes para mostrar o quanto nós somos maus, perversos e pecadores!

“O justo viverá da fé” (Romanos 1:17) Continue lendo

-->

set 17 2010

A reconstrução dos muros de Jerusalém

“E os que passavam blasfemavam dele, dizendo: se és Filho de Deus, desce da cruz.” (Mt.27:40)

“Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer: porque cessaria esta obra…?” (Ne.6:3)


Apenas lendo estes dois versículos acima, podemos perceber a relação que existe entre a obra que Neemias realizou e a obra do Senhor Jesus Cristo para a salvação do mundo.

Resumindo a história de Neemias, até o capítulo em questão (cap.06), vemos que Neemias, servo de Deus, copeiro do rei Artaxerxes, foi movido de íntima compaixão pela sua cidade Jerusalém. Esta cidade foi sitiada por Nabucodonosor, rei da Babilônia (IIRe.25), o qual arrombou a cidade, matando a muitos, derrubou seu muro, queimou suas portas e os restantes sofriam grande desprezo e miséria. Triste notícia chegou aos ouvidos de Neemias, o qual se assentou e chorou sobremaneira (Ne.1:4). Continue lendo

-->