abr 12 2014

Barrabás

“Fora daqui com este, e solta-nos Barrabás” (Lucas 23:18)

“Se um morreu por todos, logo todos morreram” (II Coríntios 5:14)

Barrabás era um grande problema. Ele era bem conhecido (Mateus 27:16). Sendo revolucionário, foi preso junto com outros amotinadores, tendo assassinado possivelmente uma autoridade romana na ocasião de um motim (Marcos 15:7). Visto que a narrativa bíblica também o descreve como um ladrão (João 18:40), além de inimigo de Roma, é bem provável que também não era bem aceito pelo seu povo judeu. Sua prisão e condenação à morte deve ter sido um alívio para todos. Preso e condenado, Barrabás aguardava sua morte. Barrabás seria crucificado.

O Senhor Jesus também era bem conhecido, mas por razões totalmente opostas as de Barrabás. Continue lendo


jan 17 2014

Direto ao ponto

“Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir.

Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça” (Isaías 59:1,2)

O homem tem procurado enganar sua própria consciência, forjando para si um deus complacente com o pecado. Quer abraçar um deus amoroso, benfeitor e doador, mas que não pune nem condena o pecado. Este não é o Deus verdadeiro! Sim, o Deus da Bíblia, desconhecido pela humanidade, é Amor e cheio de graça e bondade. Mas também é Santo e Justo. Os atributos da divindade são inseparáveis. Se você deliberadamente ignora qualquer um dos atributos de Deus, a seu bel prazer, você está forjando para si o seu próprio deus.

Não há quem não se agrade quando ouve: “Deus te ama”. Entretanto, dificilmente é aceita a seguinte afirmação, igualmente verdadeira: “Deus odeia o teu pecado”. Sim, Deus ama o pecador, mas odeia o seu pecado. Ele não tem prazer na morte do ímpio (Ezequiel 33:11), todavia ao culpado não terá por inocente (Êxodo 34:7). Continue lendo


nov 17 2011

Você O crucificou

“Saiba, pois, com certeza toda a casa de Israel que a esse Jesus, a quem vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo” (Atos 2:36)

Quem crucificou a Jesus? Há muito o que dizer sobre quem seriam os responsáveis pela morte de Jesus Nazareno, o filho do carpinteiro. Os judeus invejosos foram os responsáveis? A culpa foi de Judas Iscariotes? A culpa foi de Pilatos? Foi o povo judeu? Será que a responsabilidade maior recai sobre aqueles que penduraram Seu corpo na cruz? Há muito o que dizer sobre esta importante questão. Continue lendo


ago 20 2011

Independência E morte

“Porque Ele (Deus) livrará ao necessitado quando clamar, como também ao aflito e ao que não tem quem o ajude. Compadecer-se-á do pobre e do aflito, e salvará as almas dos necessitados.” (Salmo 72:12,13)

A célebre frase “INDEPENDÊNCIA OU MORTE”, conhecida como o “Grito da Independência”, pronunciada por D. Pedro I e ensinada anualmente nas escolas infantis, não condiz com a verdade em sua essência. Aquele grito, o qual maquiou a real intenção de Portugal, foi uma espécie de “grito eleitoreiro”, pois de forma alguma o Brasil ficou realmente livre da coroa  portuguesa. Mas também é verdade que aquela frase, guiada por D. Pedro I, também foi o clamor do povo! É a mais pura verdade que aquele grito expressa o que está no coração da humanidade.
Continue lendo


maio 2 2011

Um clamor da masmorra

“Invoquei o teu nome, SENHOR, desde a mais profunda masmorra. Ouviste a minha voz; não escondas o teu ouvido ao meu suspiro, ao meu clamor. Tu te aproximaste no dia em que te invoquei; disseste: Não temas.” (Lam.3:55-57)

Estas foram as palavras proferidas por Jeremias, um homem a quem Deus chamou para ser profeta em Israel. E como aconteceu com todos aqueles que falavam as palavras de Deus ao povo, normalmente duras palavras de juízo, Jeremias também foi perseguido, maltradado, preso e morto. Mas apesar ter visto a aflição (Lam. 3:1), e ter experimentado os horrores de uma masmorra, estando acorrentado, Jeremias invocou o nome do Senhor.

Gostaria, contudo, de considerar estas palavras de Jeremias como que partindo de uma alma angustiada e oprimida por causa do pecado. O pecado escraviza, aprisiona e leva a morte! Mas os ouvidos do Senhor estão sempre prontos para ouvir o clamor de todo e qualquer pecador arrependido. Continue lendo


mar 1 2011

Viver ou morrer

“Aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo” (Hebreus 9:27)

Ao criar o ser humano, Deus lhe deu um único mandamento. A desobediência seria fatal, pois assim disse Deus a Adão se este fosse rebelde: “certamente morrerás” (Gênesis 2:17). E foi assim que entrou o pecado no mundo, e pelo pecado entrou a morte (Romanos 5:12).

 

Preste bastante atenção aos seguintes três versículos:

“O salário do pecado é a morte” (Romanos 6:23)

“A alma que pecar essa morrerá” (Ezequiel 18:4)

“O pecado, sendo consumado, gera a morte” (Tiago 1:15)

Os versículos citados acima são suficientes para nos mostrar que o salário (o pagamento, a consequência, o resultado) do pecado é a MORTE. Enquanto houver cemitérios, caixões, velórios e vidas sendo ceifadas neste mundo, estará atestada esta verdade que o homem é pecador. Continue lendo


dez 29 2010

Eternidade – onde?

Aonde você está indo? Onde estará amanhã? Onde estará nos anos vindouros? Você não tem certeza? Mas espere! Esta pergunta você precisa responder: onde estará na eternidade? É fundamental que você encontre a resposta para esta pergunta, pois dela depende seu destino eterno!

Esta vida é apenas “um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece” (Tiago 4:14); “pois tudo passa rapidamente, e nós voamos” (Salmo 90:10). Prezado leitor, esta vida está acabando… E depois, para onde vamos? O que acontece depois da morte?

Diz a Bíblia: “Aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois disto o juízo” (Hebreus 9:27). E este juízo é descrito com mais detalhes no último livro da Bíblia:

“Vi um grande trono branco e Aquele que nele se assenta, de cuja presença fugiram a terra e o céu, e não se achou lugar para eles. Ví também os mortos, os grandes e os pequenos, postos em pé diante do trono. Então se abriram livros. Ainda outro livro, o livro da vida, foi aberto. E os mortos foram julgados, segundo as suas obras, conforme o que se achava escrito nos livros. Deu o mar os mortos que nele estavam. A morte e o além entregaram os mortos que neles havia. E foram julgados um por um, segundo as suas obras … E quem não foi achado inscrito no livro da vida foi lançado para dentro do lago de fogo” (Apocalipse 20:11-15). Continue lendo


dez 9 2010

Você é uma boa pessoa?

Esta é a descrição de Deus sobre você e eu, trecho tirado da carta de Paulo aos Romanos, capítulo 3:

10   Não há um justo, nem um sequer.
11   Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus.
12   Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só.
13   A sua garganta é um sepulcro aberto; Com as suas línguas tratam enganosamente; Peçonha de áspides está debaixo de seus lábios;
14   Cuja boca está cheia de maldição e amargura.
15   Os seus pés são ligeiros para derramar sangue.
16   Em seus caminhos há destruição e miséria;
17   E não conheceram o caminho da paz.
18   Não há temor de Deus diante de seus olhos.

Mediante a este terrível quadro, descrito nos versículos acima, quadro este que revela a visão de Deus sobre o homem, você pensa ainda que é realmente uma boa pessoa ou, pior ainda, terá outra chance de voltar para melhorar alguma coisa? Continue lendo


dez 5 2010

Uma viagem perigosa

“Senhores, vejo que a navegação há de ser incômoda, e com muito dano, não só para o navio e carga, mas também para as nossas vidas.” Atos 27.10

A vida humana é como um barco imenso navegando até certo destino. Em Atos 27, todos os que estavam no barco pretendiam chegar à Roma, a cidade mais importante e promissora, a morada do rei. Certamente que você um navegante pelos mares da vida também tem desejo de enfim aportar na cidade do Rei celestial.

O começo daquela viagem foi feliz e sem preocupação alguma, mas não foi assim a viagem interia. Esteja você na juventude, na idade adulta ou até mesmo na terceira idade, é preocupante se na sua viagem para eternidade ainda não teve pensamentos sérios quanto ao seu destino eterno.

Embarcaram naquele porto representante de todas as classes sociais: o mestre, ou dono, do barco nos lembra das pessoas ricas deste mundo; o centurião, daquelas como ótimas carreiras profissionais; os marinheiros, daqueles profissionais altamente qualificados; os soldados nos fazem lembrar aqueles que são responsáveis por manter a ordem; os presos, aqueles que vivem à margem da lei.

Por acaso, você já esta pensando sobre qual destas classes é aquela em que você se enquadra? Nesse barco, da vida rumo à eternidade, por menos que pareça, viajam juntos o doutro e o analfabeto. Todos são pecadores culpados perante Deus, e a maioria não se dá conta disso enquanto a viagem, isto é, a vida, corre bem. Continue lendo


nov 18 2010

Os mortos devem ouvir

“Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida.

Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, E AGORA É, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão” (João 5:24,25)

Uma vez que alguém morre neste mundo, significa que todas as funções vitais do seu corpo pararam de funcionar. Não existe mais vida física. O coração parou de bater, o sangue de circular, não há mais visão nem audição. O sábio Salomão, o qual recebeu a sabedoria do próprio Deus, declarou o que acontece com o homem na sepultura:  “na sepultura, para onde tu vais, não há obra nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma” (Eclesiastes 9:10). A sepultura aguarda a todos: “Que homem há, que viva, e não veja a morte? Livrará ele a sua alma do poder da sepultura?” (Salmo 89:48). E o que se vê, em cada sepultamento, é choro, tristeza e angústia pela perda da vida terrena. Isso porque qualquer um, em sã consciência, sabe bem que aquele corpo sepultado, não mais se moverá, não mais ouvirá, não mais falará, pois é um corpo morto e após um período será tão-somente um montão de pó. É a dor da perda.

A Bíblia fala de um outro tipo de morte: MORTE ESPIRITUAL. Continue lendo