O bom samaritano (1)

Para melhor compreensão desta mensagem, leia antes Lucas 10:25-37.

Esta parábola foi proferida pelo Senhor Jesus a um doutor da lei. Pelas perguntas deste homem (vs.25 e 29), notamos que ele não estava interessado em conhecer a verdade, mas tão-somente experimentar o Mestre.

A primeira pergunta foi: Mestre, que farei para herdar a vida eterna?

Porque será que ele, um mestre em Israel, um doutor da lei, dirije-se a Cristo chamando-o de Mestre e lhe faz uma pergunta tal como esta? Será mesmo que reconhecia que Cristo era Mestre? Será mesmo que ele estava com dúvida quanto a sua eternidade? Por certo que não. Entretanto ele não estava enxergando que, diante dele, estava Um que conhecia seu coração e que todas as suas intenções não estavam ocultas.

Conhecendo a sua real necessidade, o Senhor Jesus lhe pergunta o que estava escrito na lei, o que foi prontamente respondido. Os dois grandes mandamentos, os quais resumem toda a lei de Deus, revelam ao mundo a exigência da santidade e pureza do Criador. Só que, não somente o doutor da lei acreditava, mas também a maioria da humanidade acredita, que é possível cumprir a lei de Deus (Gálatas 2:10,11). Se realmente fosse possível ao homem cumprir toda a lei de Deus, sem faltar em um só ponto (Tiago 2:10), ele herdaria a vida eterna (Gálatas 3:12). Mas isto é impossível, pois a lei não foi dada para salvar o homem, antes para mostrar o quanto nós somos maus, perversos e pecadores!

“O justo viverá da fé” (Romanos 1:17)

Aquele doutor da lei não precisava de fé para herdar a salvação. Ele confiava demais em sua conduta, suas obras, sua bondade, sua capacidade e seu entendimento. Aos seus próprios olhos, e perante os olhos daqueles que o louvava, ele herdaria a vida eterna. Deus não seria injusto em lançar um homem com tantas qualidades e virtudes no inferno! Entretanto, estava ele cego ao ponto de não enxergar o quanto era pecador, o quanto seu coração era corrupto e enganoso perante os olhos do Santo Deus. O Senhor Jesus quis fazê-lo compreender que NINGUÉM cumpre a lei de Deus. É simplesmente por este motivo que “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Romanos 3:23).

“se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde” (Gálatas 2:21)

Você realmente sabe o que significa amar a Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma, com toda a sua força e entendimento? Você realmente sabe o que significa amar o próximo como a ti mesmo? Aquele doutor da lei acreditava piamente que sabia. E mais ainda… ele confiava que ele guardava os mandamentos. Quem poderia questionar sua sinceridade? Todavia, ele estava se enganando e ninguém melhor do que o Senhor para lhe mostrar o quanto estava perdido.

Assim, querendo se justificar, demonstrando ainda sua confiança em suas próprias obras, o doutor da lei faz sua segunda e última pergunta ao Senhor Jesus: Quem é meu próximo?

É a partir daqui que o Senhor Jesus conta a parábola do bom samaritano. Cristo contava parábolas “para que vendo, não vejam, e ouvindo, não entendam” (Lucas 8:10). Através desta parábola, o Senhor queria que o doutor da lei pudesse se identificar com alguns dos personagens da parábola, para o seu próprio bem. Ele precisava enxergar a escuridão da ignorância em que se encontrava, para que pudesse buscar a luz do verdadeiro entendimento.

Leia a próxima mensagem, clicando na imagem abaixo.

Uma ideia sobre “O bom samaritano (1)

  1. Pingback: O bom samaritano (II) | Fiel Palavra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.