Simeão

Simeão“Agora, Senhor, despedes em paz o teu servo, Segundo a tua palavra; pois já os meus olhos viram a tua salvação, a qual tu preparaste perante a face de todos os povos; Luz para iluminar as nações, e para glória de teu povo Israel” (Lucas 2:29-32)

Após o nascimento de Jesus, José e Maria foram apresentar o menino ao Senhor, no templo em Jerusalém, a fim de procederem conforme a lei de Deus, ainda vigente para a Isarel. Foi naquela ocasião em que o Espírito Santo conduziu Simeão para o templo para que visse o menino.

Quanta paz e alegria teve o velho Simeão ao ver aquele bebê e tomá-lo em seus braços! Deus lhe havia prometido que ele não morreria sem antes ver o cumprimento da promessa feita a todo o Israel: a vinda do Messias, o Cristo do Senhor. Então Simeão louva a Deus e se despede em paz. Continue lendo

Demora fatal

Demora fatal“O sangue de Jesus Cristo, Seu Filho, nos purifica de todo o pecado” (I João 1:7)

No hospital duma cidadezinha do interior, o médico de plantão recebeu, à meia-noite, uma chamada do porteiro: “Por favor, senhor, venha depressa; chegou um que parece muito doente; foi mordido por uma cobra!” O médico corre para a geladeira onde se guardam as drogas especiais, tira dois pacotinhos contendo ampolas de ser um contra veneno de cobra, e dirige-se para a entrada do hospital, onde jaz o homem. Parentes e amigos estão chorando ao redor do doente. O médico entra no meio, ajoelha-se perto do homem para examiná-lo; logo acerta que este não tem pulso, nem respiração, e o coração não bate mais. Com tristeza o médico fala! “O homem morreu; não posso fazer nada por ele”. Os parentes tornam a chorar. O médico toma um deles à parte e pergunta-lhe: “Quando foi mordido esse homem?” Continue lendo

Marco Polo

Marco Polo“Os olhos do SENHOR estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons” (Provérbios 15:3)

Marco Polo não é um nome fictício. Ele realmente existiu. Em 1271, mais de duzentos anos antes de Colombo descobrir América, três homens fizeram uma viagem longa. Eram Marco Polo, seu Pai Niccolo, e seu tio, Maffeo. Partiram da Veneza, na Itália e viajaram por grande parte do mundo. Foram para o Irã, para o Afeganistão e para a Mongólia, perto da China. Viajaram 12.000 km.

Marco Polo tomou nota de tudo que via. Escreveu sobre petróleo que vinha do chão que poderia servir de combustível. Viu árvores com “nozes” do tamanho da cabeça dum homem. Viu riqueza e luxúria tal qual ninguém na Europa tinha visto. Em 1295 os Polos chegaram em casa com jóias e riquezas que ajuntaram nas viagens. Em 1298, Marco Polo foi convencido a escrever sobre as viagens. O título do livro era “A Descrição do mundo”. Relatou muito sobre uma parte do mundo que ninguém na Europa tinha visto. Continue lendo

Felizes

Felizes“BEM-AVENTURADOS” 

Já ouviste estas palavras? Sabes o que significam? Significam felizes, quão felizes. Estas palavras são muito pouco usadas na linguagem do dia a dia da maioria das pessoas. Se perguntássemos: Quem é feliz? Sem dúvida teríamos várias e diferentes respostas. Alguns diriam: “Feliz é quem tem boa saúde”. Outros diriam: “Feliz é quem possui riquezas e fama neste mundo”. E outros certamente diriam: “Feliz é quem aproveita os prazeres da vida para se divertir, etc…”. Quero lembrar, prezado leitor, que as palavras “Bem-aventurados” aparecem muitas vezes na Bíblia Sagrada. Deus, em Sua Palavra, nos diz quem realmente é feliz. Em primeiro lugar Ele nos diz quem é… Continue lendo

Para quê vivo eu?

Pra quê vivo eu“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas” (Mateus 11:28,29)

Alguma vez em sua vida você já parou para pensar seriamente se o que você está vivendo até hoje é realmente a vida que sempre desejou? Em outras palavras: você está plenamente satisfeito com tudo o que tem experimentado até aqui? Está satisfeito com todo o seu passado, suas experiências e suas lembranças? Seu tempo presente lhe dá alegrias e satisfação plena, a ponto de conseguir dormir tranquilamente sem nenhum sentimento de culpa ou vazio? Ao pensar no futuro, você se sente seguro e esperançoso em conhecer e experimentar coisas maravilhosas que ainda não pode conhecer nem experimentar, ou sente-se temeroso e inseguro em relação aos problemas que a vida lhe trarão, incerteza, medo de mudanças, medo da morte e do que virá depois? Ou você simplesmente evita pensar no futuro justamente para não se deparar com o medo e insegurança?

Por favor, amigo, não pare de ler esta pequena mensagem, ela foi escrita por sua causa, por amor a você, pensando exclusivamente em você e sua necessidade. Continue lendo

Barrabás

“Fora daqui com este, e solta-nos Barrabás” (Lucas 23:18)

“Se um morreu por todos, logo todos morreram” (II Coríntios 5:14)

Barrabás era um grande problema. Ele era bem conhecido (Mateus 27:16). Sendo revolucionário, foi preso junto com outros amotinadores, tendo assassinado possivelmente uma autoridade romana na ocasião de um motim (Marcos 15:7). Visto que a narrativa bíblica também o descreve como um ladrão (João 18:40), além de inimigo de Roma, é bem provável que também não era bem aceito pelo seu povo judeu. Sua prisão e condenação à morte deve ter sido um alívio para todos. Preso e condenado, Barrabás aguardava sua morte. Barrabás seria crucificado.

O Senhor Jesus também era bem conhecido, mas por razões totalmente opostas as de Barrabás. Continue lendo

Segurança eterna

“E o efeito da justiça será paz, e a operação da justiça, repouso e segurança para sempre” (Isaías 32:17)

Em algumas ocasiões quando escutava uma rádio de telejornalismo, ouvi um slogam de uma companhia de seguros que diz: “as pessoas seguras são mais felizes”. Desde então esta frase vem me incomodando profundamente. Não pela verdade nela contida, mas pela sua associação com o marketing da seguradora.

A frase é um tanto abrangente e devemos concordar com ela, em si mesma, mas é muito triste constatar que a ‘segurança’ e a ‘felicidade’ estejam sendo conhecidas e experimentadas de modo tão vago e superficial. Não há dúvida que uma pessoa pode estar segura sem estar coberto por uma apólice de seguro. Da mesma forma a sua felicidade não depende se você tem ou não um seguro contratado. Não que seja um erro contratar um seguro, ou ser previdente, mas a felicidade de qualquer não está fundamentado nisto. Continue lendo

Direto ao ponto

“Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir.

Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça” (Isaías 59:1,2)

O homem tem procurado enganar sua própria consciência, forjando para si um deus complacente com o pecado. Quer abraçar um deus amoroso, benfeitor e doador, mas que não pune nem condena o pecado. Este não é o Deus verdadeiro! Sim, o Deus da Bíblia, desconhecido pela humanidade, é Amor e cheio de graça e bondade. Mas também é Santo e Justo. Os atributos da divindade são inseparáveis. Se você deliberadamente ignora qualquer um dos atributos de Deus, a seu bel prazer, você está forjando para si o seu próprio deus.

Não há quem não se agrade quando ouve: “Deus te ama”. Entretanto, dificilmente é aceita a seguinte afirmação, igualmente verdadeira: “Deus odeia o teu pecado”. Sim, Deus ama o pecador, mas odeia o seu pecado. Ele não tem prazer na morte do ímpio (Ezequiel 33:11), todavia ao culpado não terá por inocente (Êxodo 34:7). Continue lendo

A Grande Ceia

“Vinde, que já tudo está preparado” (Lucas 14:17)

O Senhor Jesus estava na casa de um dos principais dos fariseus, comendo em sua casa, em um sábado, sendo observado pelos convidados. Os fariseus e doutores da lei, assim como muitos dos judeus naquela ocasião, eram pessoas que se julgavam dignas de receber um lugar no céu pelos seus próprios méritos. Julgavam-se melhores que outras pessoas e entendiam que as bênçãos celestiais e eternas não eram uma dádiva gratuita da parte de Deus. Eles precisavam dar a Deus algo em troca. Confiavam nas suas obras e tinham certeza que, para serem recebidos na presença de Deus, deveriam fazer por merecer. Continue lendo

Daqui a 100 anos

Que diferença fará daqui a 100 anos se o leitor:

1) Morou num palacete – ou num casebre?

2) Se usou roupas de marca – ou roupas baratas?

3) Se passou as férias no Hawai – ou em casa?

4) Se comeu filet mignon – ou pão duro?

5) Se dormiu em colchão de centenas de contos – ou numa pobre esteira?

6) Se teve automóvel próprio – ou andava de transportes públicos?

7) Se teve empregados às suas ordens – ou recebia ordens de um patrão?

8) Se era reconhecido – ou era ignorado?

9) Se pertenceu à classe social alta – ou era plebeu?

10) Se teve 100 milhões guardados no banco ou vivia num tremendo aperto:

QUE DIFERENÇA FARÁ TUDO ISSO DAQUI A 100 ANOS?

NENHUMA!

Absolutamente nenhuma!

ENTRETANTO… Fará MUITÍSSIMA diferença daqui a 100 anos se HOJE você é uma pessoa SALVA ou PERDIDA, pois esse fato DETERMINARÁ se daqui a 100 anos o leitor estará no CÉU ou no INFERNO. Isso fará muitíssima diferença, não somente daqui a 100 anos, mas por toda a eternidade!

O que é necessário que faça para se salvar? Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo (Atos 16:31)

Fonte: http://iqc.pt